quinta-feira, 17 de maio de 2007

O Papa é pop, mas não papa ninguém

Que o Papa é pop todo mundo já sabe. Mas não falo daquele nazistinha que esteve por aqui dias atrás, mais conhecido como Bento XVI. Esse daí já cansou todo mundo. Falo sobre um também pop e muito íntimo das mulheres: o papanicolau.

Também conhecido entre os médicos por Colpocitologia oncótica, o papanicolau é um exame preventivo do câncer de colo de útero, que toda mulher deve fazer ao menos uma vez por ano.

Hoje, em todo o mundo, mais de 650 mulheres morrem por dia em consequência desse tipo de câncer. E as vítimas não são apenas as de mais idade, meninas jovens também são atingidas. Ele é o terceiro fator cancerígeno mais comum entre as mulheres, sendo superado somente pelo câncer de pele e pelo câncer de mama.

Normalmente, após serem realizados 3 exames anuais, a paciente com baixo risco fica livre para realizá-lo com menos freqüência. Porém, aquelas com pelo menos um fator que possa desenvolver o câncer do colo de útero, devem continuar se submetendo ao exame anualmente.

As mulheres não gostam de realizar o papanicolau, às vezes por vergonha, às vezes por ser extremamente incômodo, mas é essencial que seja feito, pois ele pode detectar outras doenças uterinas antes mesmo de um câncer se desenvolver.

O exame completo inclui primeiramente a palpação das mamas (para detectar o câncer de mama) e depois é introduzido na vagina um espéculo que possibilita a visualização do colo do útero. Em seguida, com uma espátula laminosa, o médico recolhe o material da parede uterina, que será enviado para um laboratório e depois analisado. Ele deve ser realizado pelo menos uma semana antes da menstruação, e devem ser evitadas duchas vaginais, colocação de cremes e relações sexuais três dias antes.

Podem ser causas de câncer: início precoce da atividade sexual, número elevado de parceiros sexuais, ter tido vários filhos, tabagismo, antecedentes de doença sexualmente transmissível e falta de higiene pessoal. Mas o principal causador disso tudo, em 90% dos casos, é um vírus conhecido como HPV (Papiloma Humano), uma DST que pode ser evitada, principalmente, com o uso de preservativos. Já existe, inclusive, uma vacina contra alguns tipos desse vírus, mas não custa prevenir.

Depois de toda essa chatice, há uma notícia boa: o papanicolau é oferecido gratuitamente pelo sistema público de saúde em qualquer unidade básica do SUS (Sistema Único de Saúde) e também em todas as faculdades de Medicina do Brasil.

Mulherada, ele tem nome de Papa, mas ao contrário desses sujeitos que vivem no Vaticano, ele pode salvar a vida de todas nós.

Instituto Nacional de Câncer: www.inca.gov.br

Um comentário:

fã disse...

Parou de escrever Lu? Quero ler mais...