quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Normalmente, as pessoas têm incrustado na consciência que o Carnaval, além de ser o feriado mais prolongado do ano, gira em torno de viagens incríveis, bebedeiras, all-night-long, ninguém é de ninguém e esquecer que o mundo existe. Mas é claro que nem todos fazem as malas e perdem horas em estradas e muito menos adoram essas festividades. Muito pelo contrário: tem gente que dedica esses sagrados dias à colocar a cabeça e as mãos para trabalhar.

É o que acontece no Carnaval Revolução, que em sua sétima, e última, edição (antes realizado em Belo Horizonte) convida os paulistas que ficarão pela cidade - e qualquer interessado de outras localidades - a participar de três dias dedicados a palestras, shows, debates e oficinas sobre assuntos mais do que relevantes (essenciais!) de nossos dias. Veganismo, anarquismo, punk, gêneros, mídia, meio-ambiente e todo o tipo de contracultura de grupos independentes fazem parte da agenda de discussão. Tudo no esquema faça-você-mesmo.

As atividades serão realizadas no Espaço Impróprio (R. Dona Antônia de Queirós, 40) e na E.E. Profª Marina Cintra (R. da Consolação, 1289), dias 2, 3 e 4 de fevereiro. A entrada para cada dia custa R$6,00, há alojamento em frente ao local para quem vier de fora e toda a alimentação vendida será vegana. Além de tudo isso, um aviso importante: sem drogas ou álcool no local e ao fumar seu cigarro use o bom senso.

Enquanto no país inteiro é comemorado o Carnaval-esbórnia, em pequenos espaços paulistanos será comemorado um Carnaval consciente.

Para saber mais:

Um comentário:

Ana Clara disse...

Eu não sou muito chegado às festividades e à putaria carnavalesca, mas passar o feriadão em debates já é demais para mim heheheh

Bjos!