quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Não Kassab Nada

Que o Kassab num kassab nada todo mundo já sabe. E que ele discursa por 10 minutos seguidos sem falar nada de interessante, fui provar pessoalmente.

Estive no lançamento da campanha do Dia Mundial Sem Carro, hoje, no espaço Rosa Rosarum, em Pinheiros, com a expectativa de ser um evento que discutisse a fundo o problema do excesso de veículos da cidade e apresentasse e incentivasse alternativas viáveis aos automóveis. Esperei também encontrar um número grande de ciclistas que falariam de suas principais dificuldades. Estava enganada quanto às duas expectativas.

Na última, porque o número de ciclistas era ínfimo perto do número de deputados, vereadores, secretários, assessores, entre tantos outros cargos públicos. Na primeira, porque o que se viu foi um verdadeiro festival de discursos batidos e sem nenhuma novidade, excetuando em especial, o de Eduardo Jorge e de um morador da Cidade Adhemar, que pontuaram as principais causas do trânsito paulista, além de terem apresentado, mesmo que de forma rápida, soluções viáveis.

Porém, todos os outros representantes não falaram mais do que fantasias e discursos irreais. Um sujeito, que não consegui saber exatamente quem era, subiu ao palco para apresentar, por exemplo, a proposta de bloquear para automóveis a Av. Paulista no sentido Consolação-Paraíso. Walter Feldman usou o tempo de sua fala para apresentar um novo projeto da Prefeitura de fazer uma Virada Esportista. “Projeto legal, projeto vai ser assim e nós vamos fazer isso e essas são nossas parcerias...” Ok, mas e o trânsito? E as ciclovias? E os ciclistas? O transporte público? O tema não era o Dia Mundial Sem Carro?

Já nosso queridíssimo prefeito Gilberto Kassab, sendo o último de uma lista excessiva de pessoas a falar, pegou o microfone para hablar sobre nada. Talvez “nada” seja exagero, porque ele falou, mas meia dúzia de abobrinhas do tipo “a prefeitura está fazendo sua parte” e “estamos revolucionando o transporte em São Paulo”. Mas seus principais temas foram o Leve Leite e sua lei de maior orgulho: Cidade Limpa. Seu argumento chegou até a ser engraçado: o paulistano está muito engajado no combate à publicidade ilegal e a Prefeitura recebe, por dia, três mil denúncias de propaganda irregular. E, da mesma maneira, a população vai receber o Dia Mundial Sem Carro com a mesma dedicação. Na minha frente só ficou uma interrogação: ahn?

Tudo isso serviu para eu ver, de pertinho, que as autoridades não estão mesmo nem aí para a questão, só querem falar de seus projetinhos paliativos, puxar o saco um do outro. E, principalmente, que o prefeito não sabe nem o que é que ele tem que falar em um evento como esse.

4 comentários:

Rebeca H. disse...

rá!

Marcelo Fonseca disse...

O colapso viário que se anuncia para os proximos anos é prova de que realmente essa cidade fucniona aos remendos, e paliativos. Ruas estreitas, esburacadas, transporte insuficiente, a lei do "status" pra que todos tenham carro...O ar é um lixo,o barulhocada vez maior,os ciclistas nao tem vez,o metro desaba a cada estaçao nova construida, a malha de trens urbanos abandonada...tsc, e nisso o unico avanço que tivemos foi...o bilhete unico! nao se melhora os caminhos, nao se melhora o transporte, o que restou foi reduzir o tempo, a pouco custo, e isso a mais de uma gestao atras.Enfim minha cara, nao sei qual cacicado faz melhor, o que resta ainda é acreditar e buzinar (neles) muito.

beijo.

Anelise disse...

Só prá te dizer que eu visito aqui SIM SENHORA e sempre acho ótimo!

Q orgulhão da filhota q traz informação....BJS

Leo Yu disse...

Pus nos favoritos. Sei lá, curti.